Vendas pela Internet: é preciso ir além da rede social em tempos de pandemia

A distância social decorrente do isolamento preventivo a disseminação do novo Coronavírus é uma novidade para as empresas, além de ser uma necessidade para a maioria das pessoas. Há anos, o e-commerce vem ganhando força e credibilidade. Contudo, neste momento ele é vital para a saúde econômica e da população.

Para vender pela Internet é preciso muito mais do que uma rede social. É bem verdade que anúncios online e chamadas nos stories atraem possíveis cliente, mas para concretizar a venda, agora que o público deve permanecer em casa, você precisa de amplo conteúdo informativo sobre seus produtos e/ou serviços, galeria com itens, um endereço virtual próprio para gerar credibilidade e opções de pagamentos online. Resumindo: você precisa de um website, uma loja virtual, com total controle do conteúdo e com gerenciamento simples e intuitivo da plataforma.

75% das empresas não têm site. Segundo o site Empresômetro, há mais de 20 milhões de micro e pequenas empresas ativas no Brasil. Por outro lado, de acordo com informações do Registro.br – órgão responsável pelo registro de sites .com.br – há cerca de 4 milhões de domínios registrados. Estes dados deixam claro a fragilidade dos empreendimentos quando o assunto é sobreviver financeiramente à pandemia. A ideia é buscar o equilíbrio com aumento da receitas e redução de custos, e o caminho para isso é ter um comércio online.

O próprio SEBRAE, acompanhando os impactos da Covid-19 nos pequenos negócios de segmentos como: varejo, moda, serviços de alimentação, construção civil, beleza, logística e transporte, oficinas e peças automotivas, serviços de saúde, serviços educacionais, turismo, artesanato, indústria de base tecnológica, pet shops e serviços veterinários e economia criativa (eventos e produções), já orienta os empresários a direcionar seus negócios para o meio virtual, através de ferramentas digitais, apontando as redes sociais apenas como primeiro passo.

A instituição de apoio às micros e pequenas empresas destaca que “se a sua empresa ainda não conta com ferramenta de venda online, esse é o momento de tomar essa atitude. Avalie qual das diferentes plataformas disponíveis no mercado mais se adequa às suas necessidades”.

A empresa de análise de crédito Boa Vista informou que a semana de 16 a 22 de março registrou uma queda de 25,2% das vendas no comércio varejista em relação semana anterior (de 9 a 15 de março). Se compararmos com o mesmo período do ano passado, a queda registrada foi de 9,5%. Os dados são provenientes de uma pesquisa nacional realizada em meio à pandemia do novo Coronavírus.

A Associação Comercial de São Paulo apontou que no final de semana do dia 14/03 houve um recuo de 16,3% nas vendas em relação ao fim de semana anterior. Contudo, as vendas pela Internet registraram alta de 40% nos primeiros 15 dias de março, de acordo com o Compre e Confie, do grupo ClearSale.

Com este cenário, além dos tradicionais produtos e serviços, a Hostnet oferece uma solução rápida, econômica, descomplicada e eficiente: a Loja Virtual Express. Criada em tempo recorde para você começar a vender o mais rápido possível, pronta e entregue em até 5 dias.

Esta solução digital é completa, incluindo: hospedagem, registro de domínio, manutenção, opções de pagamento para o seu cliente, segurança na Internet, suporte 24 horas para o empreendedor e um curso online grátis que vai te ensinar tudo sobre a administração da loja virtual.

A tendência mercadológica é o crescimento das vendas por e-commerce. O momento é difícil, mas estamos aqui para ajudar você a continuar vendendo seus produtos e serviços, com segurança e consciência, pela Internet. Consulte um de nossos especialistas.